A Revista Gestão e Sociedade passa a contar com o apoio da Academia Mineira de Letras

A Revista Gestão e Sociedade, em sua proposta de construção de parcerias com a sociedade,  passa a contar com uma ilustre e importante representação das letras de Minas Gerais em seu quadro de apoiadores. A Academia Mineira de Letras foi fundada em 1909 por um grupo de pioneiros ligados à literatura e a cultura, onde pontificavam jornalistas, escritores, profissionais liberais, homens públicos e conceituados militantes da cátedra e dos tribunais. O grupo fundador, de imediato incorporando o adjetivo mineiro, ao invés da denominação municipalista, dava a dimensão dos seus objetivos: o culto, a defesa e a sustentação da pureza da língua e a produção intelectual na sua plenitude e variedade. Inicialmente, os doze idealizadores capitaneados por Machado Sobrinho e integrados por intelectuais como Belmiro Braga, Dilermando Cruz, Amanajós de Araújo e outros expoentes das letras, elegeram mais dezoito intelectuais espalhados por todo o Estado. Dentre os dezoito, destacavam-se Nelson de Senna, Alphonsus de Guimaraens e Carlos Goes, além de outras influentes personalidades. Atualmente a  casa é integrada por 40 membros a exemplo da Academia Brasileira e a Francesa, eleitos por um colégio eleitoral inter paris em processo aberto a todo cidadão brasileiro, com qualificações para postular o acesso ao sodalício. (1) 

A Revista Gestão e Sociedade se une a este representante da construção intelectual de Minas Gerais e do país, sempre reafirmando seus princípios de proximidade e respeito à história e às suas raízes.

 

(1) Fonte:https://academiamineiradeletras.org.br/a-academia/a-historia/