Teoria econômica do crime: uma abordagem a partir do programa bolsa família no estado do Rio Grande do Sul

  • Maicon Grings UNIVERSIDADE DO OESTE DO PARANÁ - UNIOESTE - CAMPUS FRANCISCO BELTRÃO-PR
  • Edison Luiz Lesimann UNIVERSIDADE DO OESTE DO PARANÁ - UNIOESTE – e do GPSA-Grupo de Pesquisa em Sustentabilidade no Agronegócio
Palavras-chave: Bolsa Família, Criminalidade, Desigualdade de Renda, Políticas Públicas, Variáveis Socioeconômicas

Resumo

O aumento da criminalidade tem motivado pesquisas buscando soluções para amenizar a incidência de crimes, bem como através de variáveis socioeconômicas, explicar os altos índices de criminalidade que assolam a sociedade contemporânea. Os trabalhos empíricos revelam que alguns aspectos econômicos, como concentração de renda, nível educacional, taxa de desemprego, conseguem explicar o fenômeno da criminalidade nas regiões brasileiras. Entretanto tem poucos trabalhos que retratam o efeito do programa Bolsa Família na incidência da criminalidade. No presente estudo busca-se analisar a relação dessas duas variáveis. O assunto se mostra de suma importância, uma vez que retrata um dos maiores problemas enfrentados pela sociedade, por conseguinte, discussões em torno da temática promovem inferências que proporcionam a criação de políticas públicas que visam o combate da criminalidade. Como resultados, destaca-se que o programa Bolsa Família, ao contrário do que se esperava, não se apresentou como uma variável que tende a auxiliar a diminuição dos índices de criminalidade para os 496 municípios do Estado do Rio Grande do Sul.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
28-04-2016
Como Citar
Grings, M., & Lesimann, E. L. (2016). Teoria econômica do crime: uma abordagem a partir do programa bolsa família no estado do Rio Grande do Sul. Gestão E Sociedade, 10(25), 1211-1227. https://doi.org/10.21171/ges.v10i25.1981
Seção
Artigos