Redes alimentares alternativas em meio à Covid-19: reflexões sob o aspecto da resiliência

  • Isadora Bacha Lopes Universidade Federal do Mato Grosso do Sul
  • Mayra Monteiro Viana Universidade de Brasília
  • Solange Alfinito Universidade de Brasília
Palavras-chave: Comunidade que Sustenta a Agricultura, CSA, Clube de Compras Sustentável, Redes Alimentares Alternativas, RAA, COVID-19

Resumo

A crise relacionada à covid-19 trouxe mudanças em diversos contextos, incluindo no alimentar. Serviços de alimentação foram fortemente impactados pela restrição abrupta de funcionamento do comércio. Todavia, as Redes Alimentares Alternativas (RAA) se mostraram resilientes neste processo. Para entender melhor esta questão, foram avaliados dois casos de RAA, sendo uma Comunidade que Sustenta a Agricultura (CSA) e um Clube de Compras (CC) de alimentos sustentáveis, ambos no Distrito Federal (Brasil). Os casos se configuram como sistemas que operam de formas diferentes, mas tendo em comum a promoção de acesso semanal a alimentos saudáveis e provenientes da agricultura familiar. No enfrentamento ao isolamento social trazido pela pandemia, foi possível verificar que ambos os casos precisaram se adaptar. Nos dois casos, foram incluídas medidas de saúde e segurança, o que demandou ajustes nas operações. Ainda, na CSA foi necessário, por exemplo, alterar o local de encontro para coleta dos produtos, e no CC foi interrompida a venda a não associados. Apesar das mudanças, nenhum dos sistemas, diferentemente de modelos de negócios alimentares convencionais, sofreu impacto negativo no desempenho econômico ou mudança do perfil de produto obtido pelos consumidores. Houve, na verdade, um aumento da demanda dos consumidores, nos dois casos, garantindo renda aos produtores envolvidos e o acesso a alimentos saudáveis pelos consumidores. Assim, a compreensão das características de RAA forneceu subsídios importantes para o favorecimento da relação produtor-consumidor também em momentos de crise como a da pandemia de covid-19.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CAROLAN, M. Future Food “Needs”: From Consumer to Citizen Choice. Sociologia Ruralis, v. 54, n. 1, p. 98–100, 2014.

CLARK, J. K.; SHARP, J. S.; DUGAN, K. L. The agrifood system policy agenda and research domain. Journal of Rural Studies, v. 42, p. 112–122, 2015.

CSA Brasília. Comunidades. Disponível em: https://csabrasilia.wordpress.com/csabrasilia/comunidades/. Acesso em: 11 de maio de 2020.

DENNY, R. C. H.; WOROSZ, M. R.; WILSON, N. L. W. The Importance of Governance Levels in Alternative Food Networks: The Case of Red Meat Inspection Rules. Rural Sociology, v. 81, n. 4, p. 601–634, 2016.

GALUNION e QUALIBEST. Alimentação na Pandemia: Como a Covid-19 impacta os consumidores e os negócios de alimentação. Disponível em: <https://conteudo.galunion.com.br/pesquisa_alimentacao_na_pandemia_galunion>. Acesso em: 8 de abril de 2020.

LEHNER, M. Alternative Food Systems and the Citizen-consumer. Journal of Agriculture, Food Systems, and Community Development, v. 3, n. 4, p. 1–5, 2013.

MEIRELES, T. Você já ouviu falar na Comunidade que Sustenta a Agricultura? Disponível em: . Acesso em: 23 mar. 2019.

SAN-EPIFANIO, L. E. Challenging Food Governance Models: Analyzing the Food Citizen and the Emerging Food Constitutionalism from mas EU Perspective. Journal of Agricultural and Environmental Ethics, v. 28, n. 3, p. 435–454, 2015.

VOLZ, P.; WECKENBROCK, P.; NICOLAS, C.; JOCELYN, P.; DEZSÉNY, Z. Overview of community supported agriculture in Europe. 1 edition. European CSA Research Group, France, 2016.

WOODS, T.; ERNST, M.; TROPP, D. Community supported agriculture: New models for changing markets. United States Department of Agriculture, Agricultural Marketing Service, 2017.

Publicado
02-06-2020
Como Citar
Lopes , I. B., Viana , M. M., & Alfinito, S. (2020). Redes alimentares alternativas em meio à Covid-19: reflexões sob o aspecto da resiliência. Gestão E Sociedade, 14(39), 3750-3758. https://doi.org/10.21171/ges.v14i39.3265